quinta-feira, 17 de setembro de 2009

O QUARTO PODER

São três os poderes que compõem um Estado de Direito Democrático: o poder legislativo (o parlamento), o poder executivo (o governo) e o poder judicial (os tribunais).

Esta ordenação de poderes foi, nas últimas décadas, invadida por mais um poder a juntar-se aos três: a comunicação social. E a comunicação social é de tal forma importante, que chega a ser chamada de «quarto poder».

A eleição do Presidente Obama, nos Estados Unidos, é provavelmente o exemplo mais recente do PODER que a comunicação social tem quando aliada às novas tecnologias. Sabe-se que a sua eleição se deveu, também, a uma poderosíssima máquina comunicacional que «vendeu o produto» de forma exemplar.

Se é verdade que nos Estados Unidos os sucessivos Governos GANHAM ELEIÇÕES, também por causa de uma UTILIZAÇÃO CRITERIOSA da comunicação social, também parece ser verdade que, em Portugal, a confirmarem-se as notícias, os sucessivos governos PERDEM ELEIÇÕES por causa de uma UTILIZAÇÃO DESASTROSA da comunicação social.

Há 4 anos, o PSD tirou Marcelo da TVI e a seguir perdeu as eleições. Agora, o PS tirou a Manuela da TVI e...sabe-se lá o que isso vai provocar do ponto de vista eleitoral.

«Aquilo é um Telejornal travestido», vociferou Sócrates. Saiu-lhe mal e caiu ainda pior. Caiu muito mal porque o Primeiro-Ministro deve ter um distanciamento formal destas questões que são menores que ele. Faltou-lhe estatura política e superioridade institucional. O problema é este: no limite, precisamos de muita inteligência para saber viver com as asneiras dos outros.

O problema é sério: falta-nos uma verdadeira cultura democrática; uma capacidade de viver e conviver com a diferença, com o contraditório, com o outro, com o oposto. Falta-nos lastro; falta-nos História democrática; falta-nos passado. Por cá, a democracia nasceu «ontem», mas temo que esteja a nascer com malformações genéticas.

2 comentários:

Paulo Cadeiras disse...

Ora bem.
Em 1º parabéns pelo excelente texto...um dia vou conseguir fazer um assim.
O problema aqui é que Governo e mesmo partidos da oposição precisam da comunicação social só que depois ficam reféns deles. Mas este problema também existe porque as nossas mentalidades ainda gostam muito de ver Big Brother e bola, programas de tertúlia cor de rosa etc. A onde quero chegar é que nós não damos um exemplo aos governantes que somos maduros e que estamos de olho neles e pelo contrário eles sentem que somos e desculpem a expressão "ótarios" e que podem manipular tudo e todos.
Pegando no tema dos gato fedorentos, eu chamo a isto uma nano mini democracia e alguma comunicação social a resvalar para ditadura, pois ainda hoje na Antena 1 foram cerca de 5 minutos a dar um mix das intervenções de Louça. O pior é que não foi só hoje, ontem antes de ontem...já enjoa.

Dr. David disse...

Sendo verdade a situação anterior da TV1 e agora esta com o Jornal expresso, então Portugal, no que diz ao respeito ao chamado "direito de informação" vai muito mal. Mas há males que vem por bem, pois assim certos senhores, que agora protestam que "há lápis azul pidesco" se lembrem que para certas minorias quer politicas como também religiosas, infelizmente isso já se tornou "normal".
Un certo conhecido politico da nossa praça foi conhecido por afirmar, "deixem-nos trabalhar", pois eu digo, "deixem-nos falar..."