quinta-feira, 9 de julho de 2009

FUTEBOL E RELIGIÃO

A comemoração do Brasil pelo título da Copa das Confederações, na África do Sul, e o comportamento dos jogadores após a vitória sobre os Estados Unidos causaram polémica na Europa. A queixa é de que a selecção brasileira estaria a usar o futebol como palco para a religião. A Fifa confirmou à Agência Estado que mandou um alerta à CBF pedindo moderação na atitude dos jogadores mais religiosos, mas indicou que por enquanto não puniria os atletas, já que a manifestação ocorreu após o apito final.

Ao final do jogo contra os EUA, os jogadores da selecção brasileira, religiosos como sabemos, fizeram uma roda no centro do campo e fizeram juntos umas orações. A Associação Dinamarquesa de Futebol é uma das que não estão satisfeitas com a Fifa e quer posição mais firme. Pede punições para evitar que isso volte a ocorrer.

Concordo; tendo a pensar que a devoção religiosa deve ser vivida na esfera privada. A religião deve estar fora dos campos de futebol e, seguindo esse princípio, também os portugueses devem ser proibidos de se benzerem antes de entrarem em campo.

3 comentários:

João Pedro disse...

Apesar de considerar que não são estas manifestações que fazem alguém um devoto, a atitude de quem se indignou parece exagerada, desproporcional e revela incomodo que roça um cero tique inquisitório.

Como cada um celebra uma vitória e a quem atribui essa conquista - desde que não se ultrapassem os limites razoáveis - constitui uma liberdade inalienável que não pode ser cerceada.

O futebol é pródigo neste tipo de manifestações (bruxos, videntes, cartomantes, rituais, terços, etc. etc.) porque só agora se indignaram?

Não vi os festejos, mas terão sido assim tão exuberantes que incomodaram tantos? Ou serão outros os motivos?

João Pedro Robalo

Anónimo disse...

Parece-me que cada vez mais, a exigência societal ocidental moderna será a de tender a "arrumar" a religião à famosa "esfera privada".
Seria bom relembrar que "religião" provem de "religare", o que subentende reunir, ligar,... não somente o Homem com o divino, o absoluto, o sagrado, assim como aos livros sagrados,...
A religião aparece entao como um tipo de enlace social que ultrapassa a esfera privada, tornando-se até uma "comunidade moral" nos dizeres de Durkhein.

Para além disso, o que é que há de estranhar que no templo du futebol os deuses do estádio e os seus adeptos rezem juntos???

Othelo disse...

Parece-me que cada vez mais, a exigência societal ocidental moderna será a de tender a "arrumar" a religião à famosa "esfera privada".
Seria bom relembrar que "religião" provem de "religare", o que subentende reunir, ligar,... não somente o Homem com o divino, o absoluto, o sagrado, assim como aos livros sagrados,...
A religião aparece entao como um tipo de enlace social que ultrapassa a esfera privada, tornando-se até uma "comunidade moral" nos dizeres de Durkhein.

Para além disso, o que é que há de estranhar que no templo du futebol os deuses do estádio e os seus adeptos rezem juntos???